Se eu fosse inteligente, Senhor,

Se eu fosse inteligente, Senhor, não julgaria ninguém; seria capaz de perceber que cada pessoa é um mistério. Se eu fosse inteligente, Senhor, não julgaria ninguém; seria capaz de compreender que ninguém está acabado, que ninguém está petrificado; seria capaz de sentir que a tua criação continua no mais profundo de cada ser. Se eu fosse inteligente, Senhor, nem a mim mesmo eu julgaria: por acaso sou eu capaz de desvendar meu próprio enigma? Se eu fosse.inteligente, Senhor, não julgaria ninguém; Seu eu fosse inteligente, Senhor, não julgaria ninguém; seria capaz de respeitar o mistério que é o outro, o mistério que sou eu. Saberia que só tu vês o que ninguém vê, que só tu podes julgar e, ao mesmo tempo, amar. “Não ju1gueis e não sereis julgado” (Mt 7,1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *